domingo, 30 de janeiro de 2011

MUDANÇA


MUDANÇA

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.

Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os seus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias. Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.

Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama... Depois, procure dormir em outras camas. Assista a outros programas de tv, compre outros jornais... leia outros livros.

Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.

Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida. Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.

Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete, outro creme dental... Tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.

Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.

Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não
vale a pena!

Clarice Lispector

LARGA O OSSO, MUBARAK


LARGA O OSSO, MUBARAK
"Tudo dominado", como diz o tráfico no Rio

Quando se vê nas páginas do PIG o mapa do Norte da África e do Oriente Médio, observa-se um colar de Estados Ditatoriais, sustentados pelos EEUU – alguns deles até construídos, como o Iraque de hoje – para fortalecer a posição de Israel e sabotar a criação do Estado Palestino, direito assegurado pela ONU no pós-guerra, e mais uma das tantas resoluções deste órgão que os EEUU desrespeitam, ignoram e no dizer do povo: cagam e andam, para as demais nações.
Depois da Tunísia, parece ter chegado a vez do Egito.
O Islã alavanca estas revoluções, estas mudanças.
Embora não seja eu muçulmano, é curioso observar que o estado de atraso que os EEUU e seus aliados mergulharam o povo e a economia destes países torne o islamismo - uma religião - a ideologia mais avançada possível e ao alcance das massas nestes países.
Seria algo como o Bispo Lugo e sua Igreja no Paraguai, ressalvadas todas as distâncias.
Mas o Paraguai era tão atrasado em termos de cidadania e progresso que a Igreja acabou sendo lá o que de mais moderno poderia haver em termos de opção revolucionária.
No lugar de se desesperar com o avanço do islamismo nacional e estatal no mundo árabe o Ocidente – leia-se EEUU- deveria contrapor ás ditaduras “boazinhas” que ele apóia, uma ideologia democrática, cidadania, desenvolvimento econômico e autonomia. A começar pela Palestina e seu povo.

Do contrário, Alah, Deus, ou Jeová é que irão resolver as questões políticas, deixando para segundo plano sua razão de ser: as questões da Fé.
Postado por Bemvindo Sequeira

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Pode me chamar



Pode me chamar

Se um dia lhe der uma louca vontade de chorar...
Me chama.

Não lhe prometo fazer sorrir,
Mas posso chorar com você...

Se um dia resolver fugir;
Não se esqueça de me chamar.
Não lhe prometo pedir para ficar,
Mas posso fugir com você.

Se um dia lhe der uma louca vontade
De não falar com ninguém;
Me chama assim mesmo.
Prometo ficar bem quietinho.
Mas...

Se um dia você me chamar e eu não responder...
Vem correndo ao meu encontro...
Talvez eu esteja precisando de você...

Se um dia lhe der uma louca vontade
De não falar com ninguém;
Me chama assim mesmo.
Prometo ficar bem quietinho.
Mas...

Se um dia você me chamar e eu não responder...
Vem correndo ao meu encontro...
Talvez eu esteja precisando de você...

A usina de Belo Monte e a alternativa mortal


A usina de Belo Monte e a alternativa mortal

Por Arthurius Maximus*

Segundo todos os estudos energéticos realizados, o Brasil esgotará toda a sua capacidade de geração de energia através de hidrelétricas antes de 2020.

Considerada uma das formas mais limpas de geração de energia, abdicar da exploração desse potencial é condenar o País à utilização das matrizes energéticas muito mais poluentes como o gás, o carvão e o diesel.

As gerações solar, eólica e marítima de energia ainda não possuem potencial de exploração em grande escala – se bem que isso muda rapidamente – e demandam instalações de grandes proporções para produzir uma ínfima quantidade de energia – em comparação as hidrelétricas -.

A usina de Belo Monte ainda tem um fator interessante a seu favor que reside na forma como foi projetada. Sem necessitar de um enorme lago, como as demais usinas já construídas aqui no Brasil, Belo Monte contará com o relevo e com a força do rio, ajudada por um sistema de canais projetados para acelerar as águas, para a geração de energia.

A sanha contra Belo Monte vai muito mais pela necessidade das grandes potências de manterem a Amazônia em um constante estado de miséria e de dificuldade de desenvolvimento do que por qualquer preocupação ecológica. Algumas tribos da região até já estão a favor da usina e pretendem utilizar as indenizações “gordíssimas” em favor de sua autonomia e da melhoria do bem-estar geral.

Uma Amazônia desenvolvida e com capacidade para sustentar povoados e equipamentos de infra-estrutura como quartéis militares, hospitais, escolas e uma gama enorme de serviços não interessa aos estrangeiros.

O aumento da povoação, um controle ecológico bem feito e critérios bem definidos que demarquem “até aonde” podemos ir é a chave para o desenvolvimento sustentável da região e a garantia da manutenção da soberania do Brasil sobre uma das regiões mais ricas e profícuas de nosso território.

Aos estrangeiros interessa muito o atual estado de abandono, miséria, baixa instrução e profunda dependência dos habitantes locais. Assim, suas “missões evangélicas” e seus “missionários” podem continuar a roubar nossas riquezas naturais e a transformá-las em remédios e em artigos de comércio patenteados no exterior.

O desenvolvimento da Amazônia pode muito bem ser coroado com a exploração racional e ecológica da região. A energia para que isso ocorra e para que o País todo possa desenvolver-se com segurança nos próximos anos é de fundamental importância para todos os cidadãos.

O discurso ecológico e naturalista é lindo e a causa da defesa do meio ambiente comove a todos. No entanto, ao tratarmos de Amazônia, devemos sempre ter em mente que os países estrangeiros desejam dominar a região faz tempo e que os interesses internacionais se derramam sobre os locais com uma sanha cada vez maior. Qualquer coisa que entrave o desenvolvimento da região e a prenda numa eterna penumbra de oportunidades é um fator aliado a esses interesses.

Se o Brasil abdicar de Belo Monte, o que fará para abastecer a região com energia? Instalar três usinas nucleares (o necessário para igualar a produção de Belo Monte) e dezenas de termoelétricas na região?

O projeto, como concebido, trará baixo impacto para a vida selvagem e garantirá energia para um futuro repleto de potencialidades para a Amazônia e para o Brasil.

*Arthurius Maximus é colunista do Perspectiva Política às segundas e editor do blog Visão Panorâmica

Lula receberá título de Doutor Honoris Causa


Lula receberá título de Doutor Honoris Causa
Autor: Jussara Seixas

O ex-Presidente Lula fará nesta sexta-feira dia 28 de janeiro ,sua primeira viagem depois que deixou a presidência no dia 1º de janeiro.
Lula receberá, às 18h, o título de doutor honoris causa na Universidade Federal de Viçosa (MG), onde também será paraninfo da turma de formandos.
Honoris causa, do latim “por causa da honra”, é um título concedido por universidades a pessoas que, independentemente de título acadêmico, tenham se destacado em uma área.
Academicamente, ele tem o mesmo tratamento de um doutorado tradicional.
Em fevereiro, Lula reassume o posto de presidente de honra do PT, de acordo com comunicado do presidente da sigla, José Eduardo Dutra.

Ministra Maria do Rosário pede explicação a FHC sobre documentos da ditadura
Autor: Daniel Pearl editor geral

A ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, deu a entender nesta quinta-feira (27) que documentos oficiais sobre o período da ditadura militar (1964-1985) podem ter sido destruídos durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

A ministra rebateu declarações do ex-presidente, para quem os arquivos da ditadura já não existem mais.
“A primeira coisa que pretendo fazer é uma pergunta, respeitosamente, ao ex-presidente Fernando Henrique. Li nos jornais esta semana que o ex-presidente disse que não existem arquivos. Preciso saber exatamente se houve alguma destruição no período dele, que ele tenha tomado conhecimento”, afirmou Maria do Rosário. Ela participou da cerimônia alusiva ao Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, realizada em Porto Alegre, com a presença da presidente Dilma Rousseff.

Na última terça-feira (25), FHC disse ser a favor da abertura dos arquivos, mas que “não vão achar nada”. O ex-presidente afirmou que os militares teriam informado que não existem mais documentos. “Essa é a questão mais grave. Pode ser que descubram documentos. Mas, oficialmente, pode abrir à vontade que não vão achar nada”, afirmou FHC, que alegou, mais uma vez, ter assinado por engano o decreto que prolongou por 50 anos o sigilo sobre os arquivos.

PREOCUPANTE – Segundo Maria do Rosário, as declarações de FHC são relevantes. “Se ele como ex-presidente diz que não existem, é muito preocupante”, disse a ministra. Questionada pela reportagem do iG, ela negou estar cogitando a possibilidade de que os arquivos tenham sido destruídos. “Não cogito. Mas ao ouvir o ex-presidente, gostaria de saber porque ele fez um pronunciamento dizendo que não existem arquivos”, respondeu.

A ministra defendeu a quebra do sigilo sobre documentos da ditadura militar, “como forma de conciliação nacional”, e disse que não existem mais divisões internas no governo federal. “Não existem duas posições de governo. Os ministérios dos Direitos Humanos, da Defesa e da Justiça seguem a linha e a concepção da presidenta. Encerramos qualquer etapa de cisão. Vamos trabalhar juntos e encontrar soluções para os problemas nacionais”, completou. Portal IG.

A aula inaugural de Alckmin no Dante


A aula inaugural de Alckmin no Dante

Se a educação é um tema que o Alckmin pretende atacar com cuidado, parece que ele escolheu começar com o simbolismo errado.

Governador escolhe colégio particular para dar aula inaugural em São Paulo

Após campanha que teve a crítica à qualidade do ensino público como tema central, o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) escolheu uma escola particular para ministrar a primeira aula inaugural de seu mandato.

É comum autoridades visitarem escolas e fundações educacionais em início de mandato. Em 2007, por exemplo, José Serra (PSDB) falou a alunos de uma escola pública na zona sul da capital no inicio do ano letivo.

Alckmin conversou ontem por quase uma hora com turmas do terceiro ano do ensino médio do colégio Dante Alighieri, cuja mensalidade é de R$ 1.751.

A aula foi em um auditório com ar condicionado e o governador usou um datashow -sistema digital de projeção. Depois, foi apresentado a uma das 110 lousas digitais do colégio. "Esse é o sonho do Herman (Herman Voorwald, o secretário de Educação)", confessou.

A palestra do governador teve desde um relato sobre escolas e faculdades técnicas do Estado -nas quais cerca de 70% dos alunos vieram de escolas públicas- até uma imitação do ex-governador Paulo Maluf.

Ele também usou o diploma de medicina para entreter a plateia. Detalhou a função das ilhotas de Lungerhans -células do pâncreas que produzem insulina. E emendou uma piada: "E o aluno, [na prova] não teve dúvidas. "Onde ficam as ilhotas de Langerhans?". "No oceano Pacífico'", disse.

Alckmin foi criticado pela oposição durante a campanha pelo sistema educacional do Estado. O tucano chegou a ser questionado por um eleitor em sabatina da Folha se matricularia os filhos em um colégio público.

Segundo dados divulgados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), São Paulo tem quatro escolas entre as 20 melhores do país. Todas são particulares.

"Temos boas escolas, mas também temos outras não tão boas. Se olharmos o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) vamos ver que São Paulo está melhorando em todos os níveis. Mas há muito o que se fazer, não há dúvida", disse

FONTE:FOLHA DANIELA LIMA DE SÃO PAULO

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Em 2011, o PSPN é R$ 1.597,87



Em 2011, o PSPN é R$ 1.597,87

Publicada em 27/01/2011 por Imprensa

Em 3 de janeiro de 2011 foi publicada, no Diário Oficial da União, Secção 1, páginas 4/5, a Portaria Interministerial nº 1.459, de 30 de dezembro de 2010, a qual estabeleceu o valor anual mínimo nacional por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), referente aos iniciais do ensino fundamental urbano, para 2011, à quantia de R$ 1.722,05. Em comparação ao valor anual mínimo do Fundeb de 2010 (R$ 1.414,85), o percentual de reajuste foi de 21,71%. A Lei 11.738, que regulamenta o piso salarial profissional nacional do magistério público da educação básica, estabelece que:
“Art. 5º. O piso salarial profissional nacional do magistério público da educação básica será atualizado, anualmente, no mês de janeiro, a partir do ano de 2009.
Parágrafo único. A atualização de que trata o caput deste artigo será calculada utilizando-se o mesmo percentual de crescimento do valor anual mínimo por aluno referente aos anos iniciais do ensino fundamental urbano, definido nacionalmente, nos termos da Lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007.”
Dada a vigência, sem alteração, da Lei do PSPN- em especial do artigo que trata do reajuste anual - a CNTE orienta a correção dos vencimentos mínimos iniciais das carreiras de magistério, em âmbito dos planos de carreira estaduais e municipais, neste ano de 2011, ao valor de R$ 1.597,87, considerando a aplicação do percentual de 21,71% sobre R$ 1.312,85, praticado em 2010.
Com informações do site da CNTE

Oficialmente velho


Oficialmente velho
por Leonardo Boff


Neste mês de dezembro, completo 70 anos. Pelas condições brasileiras, me torno oficialmente velho. Isso não significa que estou próximo da morte, porque esta pode ocorrer já no primeiro momento da vida. Mas é uma outra etapa da vida, a derradeira. Esta possui uma dimensão biológica, pois, irrefreavelmente, o capital vital se esgota, nos debilitamos, perdemos o vigor dos sentidos e nos despedimos lentamente de todas as coisas. De fato, ficamos mais esquecidos, quem sabe, impacientes e sensíveis a gestos de bondade que nos levam facilmente às lágrimas,

Mas há um outro lado, mais instigante. A velhice é a última etapa do crescimento humano. Nós nascemos inteiros. Mas nunca estamos prontos. Temos que completar nosso nascimento ao construir a existência, ao abrir caminhos, ao superar dificuldades e ao moldar o nosso destino. Estamos sempre em gênese. Começamos a nascer, vamos nascendo em prestações ao longo da vida até acabar de nascer. Então, entramos no silêncio. E morremos.

A velhice é a última chance que a vida nos oferece para acabar de crescer, madurar e, finalmente, terminar de nascer. Neste contexto, é iluminadora a palavra de São Paulo: “Na medida em que definha o homem exterior, nesta mesma medida rejuvenesce o homem interior”(2Cor 4,16). A velhice é uma exigência do homem interior. Que é o homem interior? É o nosso eu profundo, o nosso modo singular de ser e de agir, a nossa marca registrada, a nossa identidade mais radical. Essa identidade devemos encará-la face a face.

Ela é pessoalíssima e se esconde atrás de muitas máscaras que a vida nos impõe. Pois a vida é um teatro no qual desempenhamos muitos papéis. Eu, por exemplo, fui franciscano, padre, agora leigo, teólogo, filósofo, professor, conferencista, escritor, editor, redator de algumas revistas, inquirido pelas autoridades doutrinais do Vaticano, submetido ao “silêncio obsequioso” e outros papéis mais.

Mas há um momento em que tudo isso é relativizado e vira pura palha. Então, deixamos o palco, tiramos as máscaras e nos perguntamos: afinal, quem sou eu? Que sonhos me movem? Que anjos me habitam? Que demônios me atormentam? Qual é o meu lugar no desígnio do Mistério? À medida que tentamos, com temor e tremor, responder a essas indagações, vem a lume o homem interior. A resposta nunca é conclusiva; perde-se para dentro do inefável.

Este é o desafio para a etapa da velhice. Então, nos damos conta de que precisaríamos muitos anos de velhice para encontrar a palavra essencial que nos defina. Surpresos, descobrimos que não vivemos porque simplesmente não morremos, mas vivemos para pensar, meditar, rasgar novos horizontes e criar sentidos de vida. Especialmente para tentar fazer uma síntese final, integrando as sombras, realimentando os sonhos que nos sustentaram por toda uma vida, reconciliando-nos com os fracassos e buscando sabedoria. É ilusão pensar que esta vem com a velhice. Ela vem do espírito com o qual vivenciamos a velhice como a etapa final do crescimento e de nosso verdadeiro Natal.

Por fim, importa preparar o grande encontro. A vida não é estruturada para terminar na morte, mas para se transfigurar através da morte. Morremos para viver mais e melhor, para mergulhar na eternidade e encontrar a última realidade, feita de amor e de misericórdia. Aí, saberemos, finalmente, quem somos e qual é o nosso verdadeiro nome.

Nutro o mesmo sentimento que o sábio do Antigo Testamento: “Contemplo os dias passados e tenho os olhos voltados para a eternidade”.

Alimento dois sonhos, sonhos de um jovem ancião: o primeiro é escrever um livro só para Deus, se possível com o próprio sangue; e o segundo, impossível, mas bem expresso por Herzer, menina de rua e poetisa: “Eu só queria nascer de novo, para me ensinar a viver”. Mas como isso é irrealizável, só me resta aprender na escola de Deus. Parafraseando Camões, completo: mais vivera se não fora, para tão longo ideal, tão curta a vida.

lboff@leonardoboff.com

*Teólogo, professor e membro da Comissão da Carta da Terra

Mensalão do PT: a hora da verdade


Mensalão do PT: a hora da verdade

Ao fim deste ano, o inquérito do “mensalão do PT” irá a julgamento no Supremo Tribunal Federal. Entre os 40 acusados em 2006 pelo ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza por supostamente terem operado um esquema de compra de votos de parlamentares para votarem a favor das proposições... do governo Lula ao Congresso está o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, o personagem mais central do caso.

O ex-presidente Lula, ao final de seu mandato, manifestou publicamente, por reiteradas vezes, convicção de que jamais existiu um esquema de compra de votos de parlamentares capitaneado por Dirceu ou por qualquer outro, e de que órgãos de imprensa e oposição inventaram esse esquema visando derrubar seu governo.

Compartilho a visão do ex-presidente Lula sobre o “mensalão do PT”. E vou mais longe: talvez mais do que pretender o impeachment do ex-presidente, a oposição e a mídia se valeram da prática então amplamente disseminada entre todos os partidos de receberem doações para campanhas eleitorais sem registrá-las oficialmente para criarem uma acusação que visou destruir Dirceu politicamente, pois era visto como o candidato natural de Lula à sua sucessão em 2010.

É consensual entre a classe política e os que vêm estudando o processo que tramita no STF a expectativa de que será considerada improcedente a teoria de que o governo Lula organizou um esquema de pagamento de mensalidades a parlamentares usando dinheiro público ou privado. E mais: acredita-se que Dirceu deve ser inocentado, sendo condenados apenas os que pagaram ou receberam doações de campanha que não foram contabilizadas pelos partidos da base aliada daquele governo.

Enquanto isso, vai passando batido na mídia o início do julgamento do igualmente suposto “mensalão tucano”, cujo personagem principal é o ex-governador de Minas Gerais e ex-presidente do PSDB, Eduardo Azeredo, que recebeu doações de campanha do mesmo ex-publicitário Marcos Valério que também doou dinheiro para as campanhas de petistas e aliados.

Ambos os casos não me parecem constituir qualquer esquema de compra de votos de parlamentares através de mensalidades pagas pelo governo federal ou pelo governo de Minas, enquanto encabeçado por Azeredo. O único mensalão – no sentido de compra de parlamentares pelo Executivo – que existiu comprovadamente, a meu ver, foi o do DEM, encabeçado pelo ex-governador de Brasília José Roberto Arruda.

O “mensalão tucano” será julgado discretamente e só os que se interessam por política e não se limitam à grande imprensa tomarão conhecimento. Todavia, assim como o ministro do STF Ricardo Lewandowski disse, em 2007, que aquela Corte aceitou o processo do “mensalão petista” com “faca no pescoço”, em alusão à pressão que a mídia fez para que tal decisão fosse tomada, no fim deste ano haverá nova pressão – talvez até maior – para que a tese tucano-pefelê-midiática seja contemplada.

Aliás, foi o episódio da “faca” que Lewandowski disse que a mídia pôs no “pescoço” do STF que deu origem ao Movimento dos Sem Mídia, porque, assustado com a teoria de que a Suprema Corte brasileira processou cidadãos com base em “pressão” de meios de comunicação, escrevi um post exortando os leitores deste blog a irem para diante da Folha de São Paulo protestar contra tal barbaridade.

Podem ir se preparando, portanto, ó defensores da democracia e do Estado de Direito, pois a sociedade civil deve se organizar para se contrapor à nova tentativa que a mídia e a oposição irão desencadear no fim do ano para que o STF julgue o “mensalão petista” como querem, pois se o resultado for diferente – sobretudo se Dirceu for absolvido – cairá por terra a maior estratégia de ataque político da direita brasileira.

Desde já, portanto, caros leitores, vocês fiquem de sobreaviso para integrarem as manifestações que sociedade civil, sindicatos, movimentos sociais e partidos políticos terão que desencadear para garantir que o Supremo Tribunal Federal decida livremente, sem pressões, sobre um processo fantasioso, espúrio, que teve origem nos interesses políticos de dois ou três partidos e de meia dúzia de impérios de comunicação.

Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Coisas que a vida ensina depois dos 40


Coisas que a vida ensina depois dos 40

"Amor não se implora, não se pede não se espera...
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados à terra por Deus para
mostrar ao homem o que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina.
Deus é o maior poeta de todos os tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças a cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor, são palavras mágicas, chaves que
abrem portas para uma vida melhor
O amor... Ah, o amor...
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos,
cura doenças...
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente..."Artur da Távola

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Denise veja aí

PENSAMENTOS de OSHO


"Quando você se sentir triste, sente-se silenciosamente e permita a tristeza chegar não tente escapar dela. Torne-se tão triste quanto possível. Não a evite — essa é uma coisa para lembrar. Grite, chore... sinta todo o sabor disso. Grite muito... se jogue no chão... role — e deixe isso prosseguir por si mesmo. Não o force isso irá, porque ninguém pode ficar num humor permanente. Quando ela se vai você se sentirá descarregado, absolutamente aliviado, como se toda a gravidade tivesse desaparecido e você pudesse voar, leve. Esse é o momento para penetrar em si mesmo" OSHO

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Governo de MG criará mais 1.314 cargos comissionados


Governo de MG criará mais 1.314 cargos comissionados
Por Eduardo Kattah

O governo de Minas Gerais irá criar mais 1.314 cargos comissionados até 2014. A decisão consta do decreto de lei delegada 182 assinada pelo governador Antonio Anastasia (PSDB) e publicado no último sábado no Minas Gerais, diário oficial do Estado. Os novos cargos representam um aumento de 28,85% no número de postos comissionados de chefia, direção e assessoramento já existentes. Do total de cargos comissionados (17,5 mil), o porcentual representa um acréscimo de 7,4%.

Ao comentar recentemente a falta de espaço para a concessão de reajustes ao funcionalismo público neste ano, o próprio governador já admitiu que no Orçamento sancionado para 2011 os gastos com pessoal deverão ultrapassar o limite prudencial previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), de 46,55%, e ficar próximo do limite de 49%.

A secretária de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, alegou, contudo, que o impacto será "praticamente irrisório". "Esse quantitativo de cargos não impacta no nosso limite de pessoal, pois é muito pouco diante do total (de 410 mil funcionários da ativa) e principalmente porque normalmente são ocupados por servidores de carreira", disse.

De acordo com a secretária, a estimativa do impacto financeiro ainda estava sendo feita. "De fato precisamos ter os cargos porque essas pessoas precisam ter algum diferencial para ocupar cargos de chefia, de direção, de coordenação de alguma área. Mas não vai impactar em nada no nosso limite", acrescentou.

O objetivo da Lei 182, segundo o governo, é adequar o quadro de servidores à terceira etapa do processo de "modernização administrativa" implantado no Estado, "tendo como foco o cidadão e a regionalização das políticas". Conforme a secretária, cerca de 700 cargos serão criados para atender às projeções de expansão do sistema prisional. A meta do governo prevê que sejam inauguradas 144 novas unidades prisionais até 2014. Aproximadamente 60% dos cargos restantes deverão ser preenchidos de imediato e a maior parte dos novos postos será criada para atender à ampliação das unidades de saúde.

Poderes
Anastasia recebeu poderes da Assembleia Legislativa para editar leis delegadas até 31 de janeiro, que podem mexer com toda a administração estadual, sem a necessidade de aval do Parlamento. Em seu primeiro ato administrativo, o governador assinou decreto criando três novas secretarias e os cargos de secretários extraordinários da Copa do Mundo, de Gestão Metropolitana e de Regularização Fundiária.

Alegando abuso na utilização do instrumento, o PT-MG prometeu ingressar com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra o projeto de resolução do Executivo, aprovado no fim do ano passado e que permitiu a edição de leis delegadas.

Futuro líder da bancada petista na Assembleia, o deputado estadual eleito Rogério Correia criticou a criação de novos postos comissionados. "O Estado está precisando é de concurso público e não mais cargos comissionados", afirmou, em nota distribuída à imprensa. "Além de usar o mês de janeiro, recesso parlamentar e fase de transição entre duas legislaturas, o governo tucano estende a força ditatorial da lei com 'autorizações' sem controle público".

Definitivo


Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

Carlos Drummond de Andrade

24 de janeiro!Dia Nacional dos Aposentados


24 de janeiro!Dia Nacional dos Aposentados ::

Por que dia dos aposentados?

24 de janeiro foi escolhido Dia do Aposentado porque nesta data, em 1923, ocorreu a assinatura da Lei Eloy Chaves, criando a caixa de aposentadorias e pensões para os empregados de todas as empresas privadas de estrada de ferro existentes. É o marco histórico da Previdência Social, que até então atendia apenas os funcionários do governo federal. Antes da assinatura, aconteceram fatos importantes (embora pontuais), como primeiro ato que concedeu o direito à aposentadoria aos empregados dos Correios, em 23 de março de 1888. A partir daí, sucessivas leis e decretos foram editados, mas sempre atendendo a setores específicos. Por isso, a data que representa a luta geral dos trabalhadores ficou marcada pela Lei Eloy Chaves.

O Dia do Aposentado foi instituído pela Lei 6.926/81, quando também é comemorado o Dia da Previdência Social. Segundo o Ministério da Previdência Social, o país tem 27.046.650 aposentados e pensionistas no país, regidos pelo regime geral da previdência, ou seja, que recebem pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A primeira folha de benefícios paga aos aposentados e pensionistas do INSS com o salário mínimo, de R$ 510, totalizou R$ 17,1 bilhões. Esses benefícios foram pagos entre 20 de janeiro e 5 de fevereiro de 2010, de acordo com o número do cartão dos segurados.Portanto, mova-se!

Está na hora do aposentado! Seja sindicalizado para aliar forças e ter mais representatividade. A diretoria de Aposentados do Sinpro-DF por meio da Coordenadora para Assuntos do Idoso, Isabel Portuguêz defende a valorização dos aposentados e a filiação ao sindicato de origem, considerando que essa é a forma que o cidadão tem de continuar informado e participar de articulações negociações e mobilização na defesa dos seus direitos e em defesa da valorização da sua categoria. Parabéns a todos os aposentados por sua vida de luta!
Fonte:Imprensa - SINPRO-DF

Febre amarela Vacina em xeque


Febre amarela Vacina em xeque

Três pesquisas da Fundação Oswaldo Cruz investigam aspectos que podem mudar protocolos de vacinação contra a doença
Junia Oliveira

A vacina contra a febre amarela pode ganhar novos parâmetros nos próximos anos e a obrigatoriedade da revacinação a cada década pode ficar no passado. Três pesquisas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) investigam aspectos que, se confirmados, vão mudar os protocolos de proteção. A primeira delas, intitulada "Duração da imunidade antiamarílica em crianças vacinadas de 9 a 12 meses de idade", estuda as diferenças entre a imunidade infantil e aquela adquirida por adultos. A segunda analisa se o uso de uma quantidade menor de vírus no medicamento tem o mesmo efeito da dose ministrada atualmente. Já a última pesquisa avalia a possibilidade de o período de imunização em adultos ser, na verdade, maior que os 10 anos preconizados até hoje.

O estudo da duração da imunidade em crianças está sendo desenvolvido pelo Centro de Pesquisas René Rachou (CPqRR), braço da Fiocruz em Minas Gerais, em parceria com as secretarias Estadual de Saúde e Municipal de Saúde de Ribeirão das Neves e de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os trabalhos começaram em agosto do ano passado e serão concluídos em março. Está sendo coletado o sangue de crianças não vacinadas, vacinadas há um mês (período de referência da imunização) e há dois, quatro, sete e 10 anos. Além de verificar se a proteção tem duração superior ou equivalente a 10 anos, os pesquisadores investigam se depois de uma década ainda há memória imunológica semelhante àquela existente no período de 30 dias pós-vacinação. O coordenador do grupo de pesquisas em Biomarcadores do CPqRR, Olindo Assis Martins Filho, acredita que possa haver uma pequena perda, mas, segundo ele, suficiente ainda para garantir a proteção.

Os estudos da Fiocruz foram motivados pela expansão da febre amarela no país nos últimos 16 anos, que deixou zonas consideradas livres cada vez mais vulneráveis. Em 2000, o Ministério da Saúde mudou a política de vacinação – até então destinada apenas a adultos moradores de zonas endêmicas ou de transição ou ainda a quem viajava para essas áreas –, depois da observação, principalmente em Minas Gerais, de casos da doença em áreas urbanas, contraída nos lugares de perigo. Por causa do surto, o calendário de imunização foi alterado e incluídas crianças com idade entre nove e 12 meses, moradoras de regiões endêmicas e de transição.

"Com a nova recomendação, começamos a fazer alguns questionamentos à ciência. Será que a resposta de uma criança vacinada é a mesma dos adultos? A vacinação a cada 10 anos foi pensada para eles e não se sabe se a imunidade infantil é igual. Talvez, elas ganhem proteção suficiente para não precisar da revacinação", alerta Olindo Martins Filho. Além de garantir uma cobertura segura e eficaz, outro ponto importante diz respeito ao impacto na saúde pública. Antes do protocolo que incluiu os bebês, o Brasil aplicava 5 milhões de doses ao ano e, 2010, é o marco das crianças que completaram 10 anos, o que significa um aumento significativo de doses.

O Instituto Bio-Manguinhos, unidade produtora de imunobiológicos da Fiocruz no Rio de Janeiro, é o responsável pela produção e distribuição da vacina para toda a América Latina, a África e as reservas estratégicas da Organização Mundial de Saúde (OMS). "Se conseguirmos provar que o período de cobertura é maior, poderemos otimizar a produção e diminuir os custos", afirma o coordenador.

Outro estudo em curso é o padrão de resposta, que verifica se os adultos adquirem o mesmo patamar de imunidade quando recebem uma dose menor da vacina. Neste caso, o volume do medicamento é o mesmo. O que diminui é a quantidade de vírus em cada porção. Os pesquisadores estão testando 246 unidades formadoras de placas (PFU) por dose, número 200 vezes inferior à dose aplicada atualmente, de 60 mil PFU. Os testes estão sendo feitos em militares do Rio de Janeiro. Os estudos contam com apoio do René Rachou, Instituto Bio-Manguinhos, Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro e do Exército.

A pesquisa da duração da imunidade em adultos foi aprovada pelo Ministério da Saúde e deve começar em abril, para ser concluída no prazo de um ano. Está à frente a Diretoria Regional da Fiocruz de Brasília (Direb), em parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), CPqRR, Bio-Manguinhos e a Aeronáutica (os paraquedistas serão voluntários). Segundo Olindo Martins Filho, há estudos isolados mostrando que os efeitos da vacina podem durar até 80 anos. "Alguns indivíduos que receberam a imunização em 1930, quando foi aplicada pela primeira vez, ainda tinham proteção este ano. Não há embasamento científico, embora já haja respostas", diz.

Serão avaliadas pessoas vacinadas há uma década e há mais de uma década para medir os impactos e os benefícios da revacinação. "Se forem comprovadas as vantagens dela, o estudo dará suporte para a imunização a cada 10 anos. Se não constatar melhorias, veremos se não é preciso vacinar novamente ou se um número reduzido da dose seria suficiente", acrescenta.

NOVOS RUMOS Os resultados estarão disponíveis este ano e, caso as hipóteses se confirmem, as pesquisas deverão ser discutidas no Comitê Nacional de Febre Amarela, para só depois o Ministério da Saúde mudar protocolos. Emboras as respostas ainda sejam uma incógnita, os cientistas já comemoram alguns resultados. Segundo o coordenador do René Rachou, o grande desafio hoje é conhecer as bases científicas que estão por trás do modelo tão eficaz e seguro da vacina contra a febre amarela. Vários pesquisadores acreditavam que para proteger contra um vírus, uma vacina deveria ser capaz de proporcionar uma resposta segundo a qual, em contato com o vírus, o organismo inflama, mata o micro-organismo e fica protegido de infecções.

Uma das principais descobertas das três linhas de pesquisa é que, no caso da febre amarela, o medicamento é misto: depois de vacinado, inflama e anti-inflama, ao mesmo tempo. "Houve uma mudança de paradigma de que inflamar é bom. O segredo para se ter reações mínimas depois de vacinado contra a febre amarela parece ser o fato de inflamar e induzir, paralelamente, o controle da inflamação".

SONHO "remédio para corpo e alma"



Remédio para corpo e alma

Tão importante quanto o ar que você respira, os sonhos são reveladores e abrem as portas para vários níveis de realidade. Só para se ter uma idéia, em 10 anos de vida, três você passa dormindo e sonhando. “Por que não aproveitar esse tempo para sua evolução?”, questiona a psicóloga transpessoal Gislaine D’Assumpção, estudiosa dos sonhos. Mesmo que você não se lembre dos sonhos quando acorda, o certo é que eles acontecem, numa média de seis a sete por noite. Inclusive é possível ter sonhos lúcidos ou conscientes.

Paul MacCartney, por exemplo, acordou certa manhã com uma música maravilhosa na cabeça. Foi até o piano e achou as notas, em ordem cronológica, exatamente como no sonho da noite anterior. E que música era essa? Nada mais nada menos do que Yesterday. A canção até hoje figura no livro Guiness dos Recordes como a mais tocada e regravada da história.

Para Gislaine, quando você atinge esse grau de conhecimento, passa a ser dono da própria vida. “Não há diferença entre sonho e realidade. É uma coisa só.” Mas ela lembra que não dá para ficar procurando o significado dos sonhos num almanaque ou dicionário. “Sonhar é muito mais do que entender o significado de cada um. É tomar posse da consciência, ser dono da própria vida e se preparar para a grande viagem – a morte. É por meio dos sonhos que cada um resolve suas frustrações, angústias e problemas. É possível fazer terapia com você mesmo enquanto dorme e viaja pelo mundo dos sonhos. Dormir e sonhar faz bem para corpo, mente e espírito. É o seu inconsciente se manifestando e enviando mensagens, entrando em contato com a alma”, explica.

Ela ensina como se deve fazer para lembrar dos sonhos e trabalhar cada um deles para conquistar qualidade de vida. “Dá até para interferir nos sonhos ou terminar os inacabados e também transformar os negativos em positivos. No sonho, você é o ator, o produtor e o diretor, portanto, pode fazer o que quiser.”

Se as pessoas não sonhassem, enlouqueceriam, “porque eles são responsáveis pela nossa saúde mental”, explica a psicóloga. Mesmo quem vive sob forte opressão, sonha. Como aconteceu na época do nazismo. A jornalista alemã Charlotte Berardt fez uma lista dos sonhos dos judeus nos campos de concentração. Um deles é o exemplo de como funciona o inconsciente coletivo: “Sonhei que era proibido sonhar, mas eu continuava a sonhar.”

Com a leveza de um anjo

Gilmar Coelho, de 57 anos, aposentado da área de mineração, é responsável por um grupo de meditação com os nomes sagrados de Deus. Sereno, ele dá muita importância aos sonhos e os mais marcantes são trabalhados num grupo de terapia, em que aprendeu a entoar o mantra “O senhor é meu pastor”, para ajudá-lo a se conectar com o self, que é o centro da alma, o inconsciente.
Repetindo a primeira frase do Salmo 23, faz-se uma ponte com o self. “É um processo de incubação dos sonhos, como se fosse uma programação. Ao entoar o mantra, você se lembra dele na dimensão onírica e também de que está sonhando. São sonhos lúcidos, que dão a você a consciência de que está sonhando”, conta.
Nesse processo de terapêutico, ele teve um sonho em particular. “Sonhei que estava no alto de uma montanha, numa espécie de platô. Um dos lados dava para um precipício e me deu muito medo. Eu me vi de frente para o abismo e percebi uma escuridão tremenda. Foi um momento de perigo, de um vazio imenso, mas me lembrei de que estava sonhando e também do mantra “O Senhor é o meu pastor”. “De repente, a paisagem mudou, se transformou numa cachoeira e ao mesmo tempo me senti leve dentro do sonho. A leveza foi tanta que consegui voar acima dos abismos. Como se fosse um anjo”, diz.
O mantra tem o poder de nos conectar com nossa alma, que é o centro de uma natureza superior. Com certeza, os sonhos nos ajudam no processo evolutivo. Na dimensão onírica, há a possibilidade de conectar com nossa essência divina, o amor e que nos humaniza, nos transformando em seres mais compassivos, em pessoas melhores, capazes de amar ao próximo.” A exemplo do que anunciou o espírita mineiro Chico Xavier: “A realidade acontece nos sonhos e se concretiza no amor”.

Mestres dos sonhos

Assim como Paul McCartney, que vislumbrou nos sonhos a música Yesterday, a psicóloga Gislaine D’Assumpção sonhou com a história do livro Pingo de luz, lançado pela Editora Vozes, que fala de um assunto delicado para crianças – a morte. Além de psicóloga transpessoal, ela é especialista em tanatologia (estudo da morte). A idéia do livro e todo o conteúdo vieram em sonho e acabaram por acordá-la em plena madrugada, em 1983. Não conseguindo dormir mais, Gislaine começou a escrever as mensagens enviadas enquanto dormia. Às 7h da manhã, o livro estava pronto. Na época, o tema era pouco tratado, tanto que Pingo de luz está em sua 35ª edição. Em seguida veio De volta à casa do pai. “As pessoas viviam me perguntando o que ocorria depois da morte.” O segundo livro também foi produzido em sonhos. A psicóloga considera os sonhos como guias em sua vida. “Eles são meu GPS, indicam meu caminho, aonde tenho que ir.”

De viagem marcada, Gislaine parte, esta terça-feira, para o Norte da Índia, com um grupo de pessoas que busca os caminhos da espiritualidade mais do que do turismo. Em Tharamsala, no Himalaia, onde fica a sede do governo tibetano, e mora o dalai-lama, ela vai aprender mais com os mestres dos sonhos, que são os tibetanos. “Eles estão num alto nível de evolução, pois dormem conscientes. Só o corpo adormece.”

Para Gislaine, os sonhos hoje não são mais tratados como subproduto do sono, mas vêm sendo cada dia mais considerados como ciência, a partir de Sigmund Freud, o pai da psicanálise, que em 1900 publicou a obra A interpretação dos sonhos, revelando que eles fazem parte dos desejos do inconsciente. Com o desenvolvimento da neurociência, os especialistas procuram entender seus aspectos físicos e psíquicos. Os sonhos, no entanto, sempre intrigaram a humanidade, como mostra a própria Bíblia, no livro do Gêneses, Antigo Testamento, capítulo 43. José anuncia tempos de fertilidade e miséria, por meio da interpretação dos sonhos do faraó com sete vacas magras e sete gordas. E ganha respeito e admiração.

Na antiga Grécia, quando ainda não havia médicos e hospitais, os moradores recorriam aos templos de cura. Eles acreditavam num deus chamado Esculápio, que curava em sonhos. O doente ia para o templo dormir e se curar. Tomava um banho e pedia a cura espiritual antes de dormir. No dia seguinte, contava o sonho para o sacerdote e recebia as orientações por meio da interpretação dos sonhos. Às vezes, a pessoa sonhava com Esculápio cuidando dela e ao acordar sentia que estava curada. Outras vezes, recebia orientação de mudança de hábitos de vida, de alimentação ou era receitado algum chá. “Todos nós temos um deus interior de cura, que é o inconsciente. A doença aparece no físico, mas o desequilíbrio já ocorreu no emocional, mental e espiritual. A doença física é consequência”, diz a psicóloga Gislaine D’Assumpção.

FAÇA O PRÓPRIO DIÁRIO DOS SONHOS

Sonhos são mensagens do inconsciente e da alma.
Para entendê-los é bom ter um diário.
Trabalhando os sonhos você estará
fazendo terapia consigo mesmo:

Compre um caderno para este fim >>

1-Ao acordar pela manhã, não mexa nem a cabeça. Relembre os sonhos e anote numa linha. Primeiro sonho, data. Na linha seguinte, o título

2-Salte uma linha e escreva todo o sonho no presente, como se estivesse ocorrendo agora. Em linhas alternadas, coloque:

a) Sentimento (escreva os mais fortes do sonho, como medo, ansiedade, alegria)

b) Assunto (veja o tema do sonho, como perseguição, viagem, etc.)

c)Questões (se ficou alguma dúvida, qual é a questão para você)

d) Símbolos e significados (escreva os símbolos e o que eles representam para você)

e) Lembre-se de que os sonhos podem orientar tudo na vida, ajudando-o a dar o passo certo na hora certa

Déa Januzzi

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura


"Água mole em pedra dura tanto bate até que fura." Será ?

Sabe quando a gente não fala porque acha que não vale mais a pena?
Muitas vezes achamos que falar não vale mais a pena, porque o que foi dito por nós não mudou o comportamento do outro; nem de forma ostensiva, nem em pequenas atitudes do dia-a-dia. Então a gente vai se sentindo desanimado, cansado de tentar, falar...

Falar... E não ter nenhuma “acolhida”.

Acolher o que alguém diz é lindo e simples. Basta ouvir, não ficar na defensiva e nem contar o seu problema ao ouvir o problema do outro. Quem acolhe, só ouve, e basta! Não é preciso dar conselhos, nem explicar opiniões contrárias, nem ser sincero para com o outro (é verdade). É só ouvir atentamente e dizer: “Ah, sim, eu entendo.”, e o outro já vai sentir-se acolhido.

Sentir-se acolhido, significa ser compreendido na hora que precisamos; significa ser recebido e aceito. Isto é fundamental para àquela hora em que nos sentimos tristes, sozinhos, confusos ou bravos. Quando estamos bravos e somos acolhidos, a nossa auto-estima agradece, percebemos que alguém pode gostar da gente mesmo quando demonstramos sentimentos negativos.

A sensação de não ser acolhido só não é pior do que a de ser mal compreendido. Quem já tentou ser assertivo com alguém que ouve tudo como crítica, reage colocando palavras na nossa boca, agredindo verbalmente porque falamos uma coisa e ela entendeu outra, sabe como é difícil.

Uma pessoa que tem a auto-estima baixa pode viver fazendo interpretações equivocadas sobre o que queremos dizer a ela e acabar nos agredindo quando somos assertivos. As pessoas também podem reagir desse modo. É muito importante mantermos a assertividade perto das pessoas assim. Ser assertivo envolve não “entrar” na agressividade do outro e não acreditar na interpretação errônea e discutir isso com ele. Ao sentirmos a agressão não devemos provocar ou alimentar a raiva da pessoa; podemos apenas repetir resumidamente nosso ponto de vista e sair da conversa.

Lembremos que é melhor evitar confrontos diretos com pessoas que têm comportamento agressivo, pelo menos no momento em que ela está com raiva, pois será muito difícil chegar a um acordo neste momento. Por outro lado, também devemos evitar agredir quem não nos acolheu ou simplesmente nos ignora.

Assim, vamos ficar atentos ao ditado “água mole em pedra dura...”, pois precisamos perceber quando vale à pena insistir em mudanças. Perante situações ou pessoas importantes para nós , é sempre melhor persistir, pois evitamos nos sentir um "zero a esquerda" por não ter tentado o suficiente .

Mas, se a melhora do relacionamento não depende de nós, pois a pessoa é uma individualista extremada, pare, chega de tentar!
Vamos acender velas para outro santo ! rsrsrs ...


Postado por Viviane Bertoli

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Ser transparente


Ser transparente


Às vezes, fico me perguntando porque é tão difícil ser transparente...
Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros.
Mas ser transparente é muito mais do que isso.
É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que sente...
Ser transparente é desnudar a alma, é deixar cair as máscaras, baixar as armas, destruir muros...

Ser transparente é permitir que a doçura aflore, transborde...
Mas, infelizmente, a maioria decide não correr esse risco.
Preferimos a dureza da razão à leveza reveladora da fragilidade humana.
Preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam da alma...
Preferimos nos perder numa busca por respostas a simplesmente admitir que não sabemos nada e que temos medo!
Por mais doloroso que seja ter de construir uma máscara que nos distancia cada vez mais de quem realmente somos, preferimos assim: manter uma imagem que nos dê a sensação de proteção.

E assim, vamos nos afundando em falsas palavras, atitudes, em falsos sentimentos...
Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar...
A doçura, a compreensão de que todos nós sofremos, nos sentimos sós...

Uma saudade desesperada de nós mesmos, daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar...
Porque aprendemos que isso é ser fraco, é ser bobo, é ser menos do que o outro!
Quando, na verdade, agir com o coração, poupa a dor...
Sugiro que deixemos explodir toda a doçura!
Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto o nosso medo, não desejar parecer tão invencíveis...
Chega de tentar controlar tanto....
Responder tanto...
Competir tanto...
Tente simplesmente viver, sentir e amar.

Rosana Braga

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Olho vivo!Compra pela internet - Algumas lojas de bandidos !!!


Olho vivo!

Compra pela internet - Algumas lojas de bandidos !!!

Pra quem faz muitas compras pela internet, vale a pena arquivar e consultar, quando for o caso.

LISTA DE LOJAS DE BANDIDOS QUE ATUAM VIA INTERNET NO BRASIL

Aí vai a relação das lojas que estão na Internet relacionadas a golpes:
os preços são altamente competitivos, exigem deposito antecipado e
pedem de 15 a 20 dias para entregar a mercadoria. Tempo suficiente
para aplicar o golpe e lesar milhares de pessoas. A maior quadrilha
age em Araçatuba, SP, e a polícia não investiga esses crimes.


Acabaram de sumir com o site www.eletrosampa.com.br, após haver lesado
milhares de pessoas.

Aí vai a lista de lojas de bandidos:

01- ascomputadores.com.br
02- atamicro.com.br
03- atashop.com.br
04- atualmicro.com.br
05- audy.com.br
06- belashop.com.br
07- birishop.com.br
08- bondcompras.com.br
09- buskofertas.com.br
10- claudilivros.com.br
11- clicmicros.com.br
12- compuserveinfo.com.br
13- computecnet.com
14- computronics.com.br
15- cristalshop.com.br
16- cyberfast.com.br
17- ddshop.com.br
18- devairgames.com.br
19- digitalpcs.com.br
20- ecportal.com.br
21- eletromicro.com.br
22- eletrototal.com.br
23- euronote.com.br
24- fiveshop.com.br
25- futuracomputadores.com.br
26- galeriashop.com.br
27- insidecomputers.com.br
28- kaled.com.br
29- kapella.com.br
30- katoecia.com
31- lehugo.com.br
32- litetelecom.com.br
33- matrixshop.com.br
34- maxisound.com.br
35- microata.com.br
36- microfest.com.br
37- multishopcompras.com.br
38- navegantes.com.br
39- netmicros.com.br
40- netstart.com.br
41- nikishop.com.br
42- notestar.com.br
43- oferta10.com.br
44- pcihouse.com.br
45- pcishop.com.br
46- pcvitrine.com.br
47- perfumesreal.com.br
48- portalmicro.com.br
49- ravelnet.com.br
50- rgsuprimentos.com.br
51- saturtec.com.br
52- shopamerica.com.br
53- shopsummer.com.br
54- viaclic.com.br
55- digitalplay.com.br

SEJA SOLIDÁRIO, REPASSE

O cigarro pode ser extinto até 2050?


O cigarro pode ser extinto até 2050?

Hoje é difícil de imaginar, mas, segundo uma análise recente baseada em tendências de tabagismo e preços de cigarros nos últimos 50 anos, o uso generalizado do cigarro pode se extinguir até 2050.

Ambos os fatores culturais e econômicos conduzirão à extinção de cigarros. Muitos estudos médicos vêm revelando os impactos negativos do fumo e, posteriormente, muitos locais públicos estão proibindo o tabaco. Assim, a prevalência de fumantes diminuiu de forma constante nos últimos 50 anos.

Na Grã-Bretanha, por exemplo, mais de metade da população fumava em 1960. Em 2008, esse número caiu para cerca de 20%. Os EUA enfrentaram queda parecida: atualmente, apenas um em cada cinco americanos fuma, em comparação com quase um em cada quatro uma década atrás.

Em algum momento, os principais mercados de tabaco quase faliram. Por enquanto, o aumento do preço por pacote manteve o crescimento de lucro das empresas em meio ao forte declínio de fumantes, mas, eventualmente, pode haver muito poucos fumantes para que o mesmo truque salve o negócio. Na maioria dos países desenvolvidos, a venda de cigarros deve perder seu valor até 2050.

O relatório prevê três tipos de cenário nas quais as taxas de tabagismo vão diminuir ou se extinguir: no cenário A, a tendência de diminuição existente se estende até atingir zero. No cenário B, as pessoas gradualmente desistem de fumar, até nos aproximamos a uma espécie de “núcleo de fumantes”, aquele grupo rígido que pode se extinguir eventualmente. No cenário C, o fumo chega a um ponto de inflexão, se torna cada vez mais inaceitável e, portanto, fica mais fácil regular contra o tabaco, que pode chegar a ser totalmente proibido. [LifesLittleMysteries]

Serra deve explicações.


Serra deve explicações.

Por que liberou, como governador de SP, 400 milhões de reais do precatório do Parque Villa Lobos, se a lei lhe permitia pagar parceladamente em 15 anos? Mas isso Serra nunca vai explicar.

Carlos Newton

Existem vários casos muito mal explicados na gestão de José Serra como governador de São Paulo, que ele usou como trampolim para tentar a Presidência. Um deles refere-se a um precatório (dívida judicial da Fazenda Pública).

Por que, em 28 de dezembro de 2009, Serra liberou cerca de 400 milhões de reais (a nona parcela do precatório do Parque Villa Lobos, o maior do Brasil, que atualizado supera os 3 bilhões de reais), se a emenda constitucional 62/2009 já permitia que os precatórios em atraso fossem parcelados em 15 anos?

Como se sabe, a 9 de dezembro de 2009 foi promulgada a emenda 62/2009, que ofereceu ao Poder Público (União, Estados e Municípios) a possibilidade de quitarem os precatórios em 15 anos. Anteriormente, essas entidades públicas caloteiras já tinham obtido prazo de 8 anos e depois prazo de 10 anos e assim mesmo quase nada pagaram. Hoje, essas dívidas decorrentes de desapropriação de áreas e de imóveis ou de condenações por danos morais e materiais e de direitos usurpados de funcionários públicos, segundo a OAB, ultrapassam a casa dos 80 bilhões de reais.

Só o Estado de São Paulo deve mais de 20 bilhões de reais e a Prefeitura de sua capital outros 12 bilhões de reais. Por conta dessa vergonhosa dívida, o então governador José Serra e o prefeito Gilberto Kassab, de São Paulo, competentemente, lideraram movimento no Congresso Nacional em favor da aprovação da absurda emenda 62, que acabou sendo promulgada.

Entrando em vigor essa tal emenda Renan Calheiros, (que é flagrantemente inconstitucional, segundo a Procuradoria Geral da República e a OAB nacional), os estados e municípios ganharam, a partir de 9 de dezembro de 2009, uma moratória alargada, uma quase anistia, para saldarem os milhares de precatórios em atraso. Só no Estado de São Paulo, há mais de 500 mil credores aguardando pagamento há dezenas de anos. Ou seja, milhares de titulares desses créditos até já morreram.

Por conta dessa nova emenda, os Tribunais de Justiça que, a pedido dos credores, vinham determinando o seqüestro de rendas contra Estados e Municípios que não estavam pagando as 10 parcelas anuais, estabelecidas na emenda 30/2000, de pronto suspenderam esse procedimento em respeito ao estabelecido na Emenda 62/2009.

Se o Tribunal observou os dispositivos previstos na nova emenda do calote, abortando pedidos de sequestro e a liberação das parcelas sequestradas e ainda não pagas, por que o então governador do Estado de São Paulo, espontaneamente, liberou a 9ª parcela do precatório do Parque Villa Lobos (parcela de quase 400 milhões de reais), que, de acordo com a emenda 30/2000, poderia ser paga até 31 de dezembro de 2010?

Essa liberalidade precisa ser esclarecida, sobretudo se levarmos em conta que em 2009, conforme dados divulgados oficialmente, para pagar dezenas de milhares de precatórios de natureza alimentar, que precisam ter prioridade absoluta, o governador Serra disponibilizou apenas 100 milhões de reais. Já para os precatórios de desapropriação, destinou em 2009 quase 2 bilhões de reais.

Notas inseridas em diversos sites informam que são três os credores do maior precatório brasileiro, os empresários Toninho Abdalla, seu primo José João Abdalla Filho e a empresa S/A Central de Imóveis e Construções.

No Home IG – Gente – Notícias, de 04/11, foi divulgado que Toninho Abdalla, “é considerado um dos últimos playboys de sua geração – ele tem 56 anos”. A nota diz que “Toninho Abdalla recebeu a maior indenização já paga por uma desapropriação de terreno no Brasil. A família de Antonio João Abdalla Filho era dona de uma área de 717 mil metros quadrados em região nobre da cidade. Para transformá-la no Parque Villa Lobos, o Estado de São Paulo acertou com Toninho e um primo seu, João José Abdalla Filho, o pagamento de R$ 1,7 bilhão, que eles receberam em dez parcelas anuais de R$ 250 milhões, entre 1999 e 2009 – Toninho, no entanto, era o sócio majoritário da propriedade”.

Inexplicavelmente, a Prefeitura de São Paulo também transformou-se em credora de parte desse bilionário precatório, referente a uma área na Marginal Pinheiros, onde em 1988 a Prefeitura depositava lixo recolhido e pagava pelo uso do terreno, segundo informação extraída dos autos do processo de desapropriação.

Não bastasse a irregularidade do pagamento da nona parcela do precatório, face à existência da Emenda 62/2009, vigente a partir de 9 de dezembro de 2009, o ex-governador José Serra precisa explicar também por que pagou R$ 17, 2 milhões a mais, a título de juros moratórios, correspondentes a 359 dias de atraso, se ele, espontaneamente, quitou por antecipação a 9ª parcela no dia 28 de dezembro de 2009, a qual venceria só três dias depois, quando realmente começariam a ser contados os dias de atraso para se computar os juros de mora.

Ora, se não houve atraso no pagamento da 9ª parcela, que nem deveria ter sido saldada antecipadamente, por que o pagamento de um acréscimo de quase R$ 18 milhões, referentes de juros de mora que na verdade jamais existiram? Isso cheira mal a quilômetros de distância, faz Serra colocar o falecido Orestes Quércia no chinelo, em matéria de corrupção.

***

UMA EMENDA TIPO RENAN CALHEIROS

Vejam o que saiu no conceituado site “Consultor Jurídico”, a respeito da emenda Renan Calheiros: “A Constituição Federal prevê que “uma lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada”. Com base nesse entendimento, o Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou a inconstitucionalidade incidental do regime que se pretende implantar com a Emenda Constitucional 62/09. A emenda trata de precatórios pendentes de pagamento.

“Ao ferir a coisa julgada, a emenda afronta a independência que deve haver entre os Poderes, afirmou o desembargador Ivan Sartori em acórdão relatado em agosto. “O colegiado entendeu que a EC 62 fere princípios constitucionais como os da proporcionalidade e da razoabilidade”.

Surge, então, uma pergunta ao presidente nacional da OAB e à opinião pública em geral: nas ações de desapropriação em que se discute apenas o valor real da desapropriação com base no laudo pericial, é correto, não fere a moral administrativa e o patrimônio público, que se pague ao escritório de advocacia que atuou no caso 10% do valor real do imóvel desapropriado?

Num caso como o acima relatado, poderia o advogado receber honorários advocatícios de 300 milhões de reais, que seriam pagos também pelo Poder Público (ou seja, pelos contribuintes), na condição de expropriante?

Todos os contribuintes merecem explicações. Mas Serra jamais se explicará.
Fonte: Tribuna da Imprensa online.

domingo, 16 de janeiro de 2011

O tucano é um corvo disfarçado de tucano


Avis rara, animal político com grave risco de extinção, o tucano se diferencia dos outros animais. Identifiquemos suas características, antes que seja tarde demais:

O tucano tem certeza que tem razão em tudo o que diz e faz.

O tucano lê a Fol...ha de São Paulo cedinho e acredita em tudo o que lê.
...
O tucano nunca foi à América Latina, considera o continente uma área pré-capitalista e, portanto, pré-civilizatória.

O tucano considera a Bolívia uma espécie de aldeia de xavantes e a Venezuela uma Albânia.

O tucano nunca foi a Cuba, mas achou horrível.

O tucano foi a Buenos Aires (fazer compras com a patroa), mas considera a Argentina uma província européia.

O tucano considera FHC merecedor de Prêmios Nobel – da Paz, de Literatura, de física, de química, quaisquer.

O tucano considera o povo muito ingrato, ao não reconhecer o bem que os tucanos – com FHC à cabeça - fizeram e fazem pelo país.

A cada derrota acachapante, o tucano volta à carga da mesma maneira: ele tinha razão, o povo é que não o entendeu.

O tucano acha o povo malcheiroso.

O tucano considera que São Paulo (em particular os Jardins paulistanos) o auge da civilização, de onde deve se estender para as mais remotas regiões do país, para que o Brasil possa um dia ser considerado livre da barbárie.

O tucano mora nos Jardins ou ambiciona um dia morar lá.

O tucano é branco ou se considera branco.

O tucano compra Veja, mas não lê. (Ele já leu a Folha).

O tucano tem esperança de retomar o movimento Cansei!

O tucano tem saudades de 1932.

O tucano venera Washington Luis e odeia Getúlio Vargas.

O tucano só vai a cinema de shopping.

O tucano só vai a shopping.

O tucano freqüenta a Daslu, mesmo que seja por solidariedade às injustiças sofridas em função da ação da Justiça petista.

O tucano nem pronuncia o nome do Lula: fala Ele.

O tucano conhece o Nordeste pelas novelas da Globo.

O tucano dorme assistindo o programa do Jô.

O tucano acorda assistindo o Bom dia Brasil.

O tucano acha o Galvão Bueno a cara e a voz do Brasil.

O tucano recorta todos os artigos da página 2 da Folha para ler depois.

O tucano acha o Serra o melhor administrador do mundo.

O tucano acha Alckmin encantador.

O tucano tem ódio de Lula porque tem ódio do Brasil.

O tucano sempre acha que mereceria ter triunfado.

O tucano é mal humorado, nunca sorri e quando sorri – como diz The Economist sobre o candidato tucano - é assustador.

O tucano não tem espírito de humor. Também não tem motivos para achar graças das coisas. É um amargurado com o mundo e com as pessoas pelo que queria que o mundo fosse e não é.

O tucano considera a Barão de Limeira sua Meca.

O tucano acha o povo brasileiro preguiçoso. Acha que há milhões de “inimpregáveis” no Brasil.

O tucano acha a globalização “o novo Renascimento da humanidade”.

O tucano se acha.

O tucano pertence a uma minoria que acha que pode falar em nome da maioria.

O tucano é um corvo disfarçado de tucano.

Emir Sader

PAZ...


PAZ...

O mundo pede PAZ.
Esta palavra lançada aos quatro cantos,
que nos enche de esperança, sonho, encanto.
É de uma complexidade sem fim.
Pronunciada assim parece simples.
Mas não é tão simples não.
Não adianta encher os pulmões.
Clamar em alto e bom som pela PAZ.
Temos antes de tudo ter equilíbrio.
Esta capacidade de controlar emoções,
Comandada pelo coração,
que pode desencadear revoluções,
desentendimentos, guerras.
Temos de nos vestir de amor.
Este sentimento sublime,
Que tudo pode mudar, revolucionar,
transformar as pessoas e o mundo.
É preciso ter generosidade, solidariedade.
determinação, perseverança.
Muito amor no coração.
Para só então lutar pela PAZ.
Quando isso de fato acontecer.
Dentro de cada um de nos,
este sentimento pulsar.
Aí então podemos gritar.
Eu quero a PAZ.
O mundo precisa de PAZ.
PAZ & AMOR.
Iolanda Brazão

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Minha amiga de infância



Olho para elas, tão divertidas a brincar, a experimentarem um tipo de amizade que nunca voltará a ser tão sincera…e de novo volto a ser criança….

Fecho os olhos e visualizo a minha amiga de infância a brincar naquele mesmo sítio comigo, as lembranças rodopiam na minha cabeça, o som dos nossos risos volta a ecoar nos meus ouvidos…recordo segredos, partidas, correrias e brincadeiras…e o sorriso nasce, a boa disposição instala-se… é tão bom recordar…principalmente essa amizade…

Ao longo da minha infância fui tendo algumas amigas, assim sendo, serão também amigas de infância…mas não são dessas que naquele momento recordo, ali e naquela altura lembro A minha amiga de infância…aquela com que nunca me chateei mais do que meros segundos, aquela com q passava os meus serões, aquela com quem inventei um alfabeto secreto, aquela que nunca me desiludiu, nunca me traiu ou trocou…

Nas encruzilhadas da vida fomos nos afastando, nunca definitivamente, nunca fisicamente, mas os segredos passaram a ser partilhados com novas amizades, as partidas e brincadeiras com novas pessoas, talvez a culpa tenha sido minha, talvez não seja culpa de ninguém…

Contudo ela será sempre A MINHA AMIGA, aquela que nunca ninguém igualará aquela que eu sempre adorarei, aquela que apenas me traz boas memórias….aconteça o que acontecer, conheça quem conhecer, viva o que viver…
Publicada por Ana Sofia

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Árvores, adoro árvores.



Diante da minha janela lateral tem uma praça , não como aquelas pracinhas perfeitas de quando criança, mas tem árvores , poucas mas tem, palmeiras, pata-de vacas , pinheiro do Paraná e ipês.

Sou fascinada por árvores, sou parente delas, quem é do interior, sabe seus nomes e efeitos.Sei muitos nomes as épocas das floradas as cores e cheiros.
São seres que nada pedem, existem e pronto, são feitos para enfeitar , lindos .
Encostar-me a janela ás vezes é suficiente, fico ali apreciando , pensando , buscando resolver as minhas pequenas tragédias e grotescos desgostos.
Encostar-me à janela e espreitar o mundo lá fora, parece mais fácil para solucionar minhas questões alfinetes , aquelas que incomodam mas não matam, nem sempre consigo, desisto e fico admirando as infinidades de folhas. Elas agitam a favor do vento o seguem sem pensar . Queria ser folhas e seguir o vento, mas tenho pés me direcionam, queria ser tronco e ficar fincada no chão , não sair de forma alguma , mas ando por aí , literalmente ando.Queria ser galho e abrigar aqueles que precisam , mas tenho braços, que por muitas vezes tremem .
Apesar de não ser bióloga. Nem profissional adoro árvores, sou amadora, mas sei as floradas e minha vida segue o curso destas flores , principalmente das suas cores.

Janeiro , mês Uruvalheira flores amarelas , árvore de cerrado, flores amarelas como minhas férias, calma , alta, quando agitada ao vento assusta.

Fevereiro, mês da Inuíba, é uma árvore pouco encontrada quase rara . Tem uma bonita floração rosa, cheia de tons , uma árvore menina rsrsr, cheia de sonhos para um novo ano de trabalho.

Paratudo, este é o nome da árvore mesmo, mês de marco mês do meu aniversário, uma árvore com efeitos medicinais na casca. Sua floração se inicia em Fevereiro, suas flores vermelhas se destacam na folhagem verde. Vermelho como meu desejo, pós aniversário.

Abril mês das Quaresmeiras uma pequena com grande beleza, como eu srrsrrs quando apresenta suas flores roxas, tem a variação com flores rosas misturadas , inunda a cidade de roxa como a paixao e rosa como a delicadeza.

Maio, tem a Braúna preta, é uma árvore nativa muito conhecida pela qualidade de sua madeira, porém raríssima quase não vejo por aqui, sua floração amarela é bem vistosa , lembro que é mês das mães assim como a árvore rara, raro e eterno como o amor materno.

Ipê roxo, é arvore de Junho ,é o primeiro dos Ipês a florir no ano, esta árvore tem rara beleza e desenvolvimento rápido, pinta a cidade cinza num espetáculo imperdível, por ser alto e de porte esguio, muito comum em nossa cidades, seu desenvolvimento é mais lento , mas seu florescer é belíssimo .

Julho , Ipê amarelo, tem algumas arvores que param nossa correria , forte nos deixam maravilhados com seus tons.

Agosto tem Subipiruna sua beleza e demonstrada em caixinhos amarelos e flores espalhadas pelo chão, floresce com grande beleza e suas flores perduram por mais de um mês, formando um tapete macio e sedoso.
Tem também, Jabuticabeira em flores, espécie muito plantada em alguns quintais para aproveitamento dos frutos. Em todas elas a floração costuma ser um espetáculo de rara beleza, com os galhos quase totalmente cobertos de flores, ao passar pela calçada dá para sentir agradável perfume.


Pau Brasil , Setembro lá vem ela assim como o nome ao país, difícil de encontrar e vê-las florescer. Parece que esta espécie só floresce quando plantada em grupos , tem um tronco espinhento e uma bela floração amarelo vivo.


Cassia rosa, Outubro, entre as diversas espécies de Cassias, tem poucas nativas aqui na região, uma floração rosa que aparece com algumas folhas fazendo contraste, dificilmente vejo, sinto falta em Minas tinha Cássias rosas e amarelas para todo lado.


Novembro mês da Tataré , esta é uma árvore mística , apresenta galhos retorcidos, com muitos espinhos, um tronco esbranquiçado como o pau ferro, e frutos em forma de espiral, novembro é cansativo sempre na ânsia que acabe, assim como esta arvore , torta como o mês , mas ela tem sua beleza com florada curta.


Dezembro tem flamboyants, é a árvore que mais me deixa feliz ,verde e vermelha como o fim de ano.
Sua florada quer mostrar que finda um ano, e logo vem um novinho e começara tudo de novo .Tenho varias historias sobre esta arvore e logo conto pro cês .Neide Ponzoni

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Calendário das flores


"Tenta te orientar pelo calendário das flores, esquece, por um momento os números, a semana, o dia do teu nascimento. Se conseguires ser leve, aproveita, enche tuas malas de sonho e toma carona no vento."

domingo, 9 de janeiro de 2011

Dilma tira crucifixo do gabinete. Falta o resto do país



Dilma tira crucifixo do gabinete. Falta o resto do país
Texto do Blog :Sakamoto

A Folha de S. Paulo, deste domingo, traz a informação de que a presidenta Dilma Rousseff, em sua primeira semana de trabalho, retirou o crucifixo da parede de seu gabinete e a bíblia de sua mesa. Foi uma medida simples, mas carregada de um simbolismo que surpreende.

Defendo fortemente que o exemplo seja seguido por todos os que ocupam cargos públicos no país. Dilma afirmou ser católica durante as eleições (ok, como disse na época, eu ainda aposto que ela e José Serra são, no limite, agnósticos – mas vá lá), mas não foi eleita para representar apenas cristãos e sim cidadãos de todas as crenças – inclusive os que acreditam em nada.

A questão da retirada de crucifixos, imagens e afins de repartições públicas gerou polêmicas ao longo da história a partir do momento em que um Estado se afirma laico (e não desde o lançamento do 3º Programa Nacional de Direitos Humanos, como querem fazer crer o pessoal do “não li, mas não gostei”). A França retirou os símbolos religiosos de sedes de governos, tribunais e escolas públicas no final do século 19. Nossa primeira Constituição republicana já contemplava a separação entre Estado e Igreja, mas estamos 120 anos atrasados em cumprir a promessas dos legisladores de então.

Em janeiro do ano passado, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil lançou uma nota em que rejeitou “a criação de ‘mecanismos para impeder a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos da União’, pois considera que tal medida intolerante pretende ignorar nossas raízes históricas”.

Adoro quando alguém apela para as “raízes históricas” para discutir algo. Na época, lembrei que a escravidão está em nossas raízes históricas. A sociedade patriarcal está em nossas raízes históricas. A desigualdade social estrutural está em nossas raízes históricas. A exploração irracional dos recursos naturais está em nossas raízes históricas. A submissão da mulher como reprodutora e objeto sexual está em nossas raízes históricas. As decisões de Estado serem tomadas por meia dúzia de iluminados ignorando a participação popular estão em nossas raízes históricas. Lavar a honra com sangue está em nossas raízes históricas. Caçar índios no mato está em nossas raízes históricas. E isso para falar apenas de Brasil. Até porque queimar pessoas por intolerância de pensamento está nas raízes históricas de muita gente.

Quando o ser humano consegue caminhar a ponto de ver no horizonte a possibilidade de se livrar das amarras de suas “raízes históricas”, obtendo a liberdade para acreditar ou não, fazer ou não fazer, ser o que quiser ser, instituições importantes trazem justificativas fracas como essa, que fariam São Tomás de Aquino corar de vergonha intelectual. Por outro lado, o pessoal ultraconservador tem delírios de alegria.

A ação da presidenta não foi a única. Em 2009, o Ministério Público do Piauí solicitou a retirada de símbolos religiosos dos prédios públicos, atendendo a uma representação feita por entidades da sociedade civil e o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro mandou recolher os crucifixos que adornavam o prédio e converteu a capela católica em local de culto ecumênico. Algumas dessas ações têm vida curta, mas o que importa é que percebe-se um processo em defesa de um Estado que proteja e acolha todas as religiões, mas não seja atrelado a nenhuma delas.

É necessário que se retirem adornos e referência religiosas de edifícios públicos, como o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional. Não é porque o país tem uma maioria de católicos que espíritas, judeus, muçulmanos, enfim, minorias, precisem aceitar um símbolo cristão em um espaço do Estado. Além disso, as denominações cristãs são parte interessada em várias polêmicas judiciais – de pesquisas com célula-tronco ao direito ao aborto. Se esses elementos estão escancaradamente presentes nos locais onde são tomadas as decisões sem que ninguém se mexa para retirá-las, como garantir que as decisões serão isentas?

Como já disse aqui antes, o Estado deve garantir que todas as religiões tenham liberdade para exercer seus cultos, tenham seus templos, igrejas e terreiros e ostentem seus símbolos (tem uma turma dodói da cabeça que diz que isso significaria a retirada do Cristo Redentor do morro do Corcovado – afe… por Nossa Senhora!). Mas não pode se envolver, positiva ou negativamente, em nenhuma delas. Estado é Estado. Religião é religião.

Como é difícil uma democracia respeitar suas minorias.

sábado, 8 de janeiro de 2011

PMDB perdeu o Ministério da Saúde


Última Hora

PMDB perdeu o Ministério da Saúde, de
bobeira, e agora corre atrás do prejuízo

Na primeira “crise” do Governo Dilma, Antônio Palocci que, modesto, disse no domingo (2-1) que seu serviço, na Casa Civil, era interno e burocrático, foi clamorosamente desmentido pelos fatos em menos de 24 horas. Já na segunda, a pedido da presidente, estava atuando como bombeiro na crise entre o governo e seu principal aliado.

O PMDB, furioso com a perda, para o PT, das verbas do Ministério da Saúde está criando problemas na Câmara. A última ameaça foi a de votar por um aumento do salário mínimo superior aos 540 reais propostos pelo Governo.

É a velha história: malandro demais se atrapalha. Há um mês, nas primeiras negociações, o partido tinha os cinco ministérios que tem hoje e mais o da Saúde. Foi quando uma ou duas raposas metidas a espertas resolveram endurecer o jogo e como não gostam de Sérgio Cabral, resolveram “queimar”o nome já escolhido por Dilma, Sérgio Côrtes, indicado pelo governador do Rio.

E vou logo dizendo o nome e o sobrenome de uma das raposas, Michel Temer que, reparem, até se parece um pouco com o astuto mamífero, misturado com o velho Stewart Granger. Nos bastidores, aliás, Temer recebeu o apodo de “Belo Brummel dos Trópicos”.

Pois bem: as felpudas raposas desenvolveram o raciocínio de que não valia a pena bancar o Cortês já que ele pertencia à cota do Cabral que atua em faixa própria. O importante, raciocinavam, era garantir os postos estratégicos do segundo escalão, aquele que controla as verbas. Querem saber que verbas: 45 bilhões de reais da Secretaria de Atenção à Saúde e seis bilhões da FUNASA, Fundação Nacional de Saúde. Sem falar na verba de 12 bilhões dos Correios subordinas ao Ministério das Comunicações, que passou às mãos do PT. Mas isto é uma outra história.

O problema, justamente, é que o PT não é bobo nem nada, aprende rápido e já tem o seu próprio criatório de raposas. Nesse passo, o Ministério da Saúde acabou ficando com o promissor Alexandre Padilha (38 anos), bom médico e esperto na política. Entretanto, tudo ia bem, até que os petistas avançaram sobre as verbas do segundo escalão. Aí o bicho pegou.

Como todo partido fisiológico e sem escrúpulos, o PMDB vive de chantagens, regateios e ameaças. E nunca se sabe se Michel Temer, o presidente do partido (agora licenciado), atua em função dos interesses do Governo ou em causa própria.

Agora, além de boicotar a proposta de salário mínimo do Governo, o PMDB ameaça melar o acordo para a eleição de um petista para presidência da Câmara. Não fique ruborizada amiga leitora. Eles são chantagistas mesmo.

Por essas e por outras, é que a presidente e o Lula não gostam do Michel Temer. Tanto que, meses atrás, fizeram o possível para evitar que ele fosse o vice na chapa de Dilma. E Lula, esta flor de boas maneiras, chegou à grosseria de pedir que o PMDB enviasse uma lista tríplice para que ele escolhesse o vice de Dilma.

Temer, entretanto, resistiu aos desaforos e, tenaz, manteve sua candidatura. No máximo chegou a dizer, na época, que “o PMDB não aceita prato feito”. A tenacidade, como sabem os que já passamos dos sessenta, é a melhor arma quando o alvo é a política ou uma moça bonita.

Finalmente e avançando pelo terreno das altas fofocas, diremos que a presidente deveria saber que qualquer comentário feito em salões de beleza ou em casas de costureiras espalha-se e amplia-se vertiginosamente.

Mas agora já é tarde, por um desses dois caminhos, este blog ficou sabendo que Dilma Rousseff (para dizer de forma amenizada) realmente não morre de simpatias por seu vice.
Fonte:“Fatos Novos Novas Ideias” franciscobarreira

Os passaportes e os factóides da mídia


Os passaportes e os factóides da mídia

Ando espantada com a pequenez humana. A Folha, Veja e Cia tentarão de todas as formas manchar a história de um presidente que durante os seus dois mandatos beneficiou não apenas os mais pobres, mas também a classe média e empresários.

O crescimento econômico do país foi benéfico para todos, a importância que o país ganhou no cenário internacional beneficia até mesmo uma parcela da classe média rancorosa e moralista com a vida alheia e que muito embora beneficiada, culturalmente não mudou nada.

Ontem no twitter li mensagens agressivas, equivocadas e até mesmo detratoras dirigidas aos filhos de Lula. Algumas delas eram a revisitação do Cansei. Na mídia velha teve até presidente da OAB, cuja presteza para exigir a devolução dos passaportes dos filhos do presidente Lula renovados legalmente foi espantosa, pena que o presidente da OAB não tenha a mesma rapidez pra repudiar crimes homofóbicos praticados no Brasil, que não se mexa para punir grupos protofascistas que querem acabar com os nordestinos e outras sandices desta parcela da classe média preconceituosa, rancorosa e vergonha alheia.

O factóide da Folha, o twitter e o respeito do Brasil no exterior

A história da renovação dos passaportes especiais já estava na imprensa há pelo menos uns dois dias. Não houve absolutamente nada ilegal na renovação. Os filhos do presidente têm direito a ter passaporte especial cujo único benefício é passar por uma fila diferenciada destinada a diplomatas, alguns artistas e empresários que também podem conseguir tal benefício.

Lula governou por dois mandatos, os passaportes emitidos (e nunca usados) foram renovados, este é o fato. Poderiam ter sido renovados antes, mas possivelmente algum burocrata do Itamaraty esqueceu de fazê-lo e o fato de tê-los renovado poucos dias antes da saída do presidente fez a Folha jogar lama na família de Lula e a classe média moralista, que em governos anteriores economizava anos pra fazer uma viagem internacional e hoje tem raiva de ver pobre no aeroporto, caiu matando no twitter contra Marcos Lula e Luís Cláudio.

Durante o governo Lula esta mesma classe média pôde viajar para os 27 países da União Européia, ficar por três meses sem precisar de vistos. Antes tiravam até as cuecas pra passarem em detector de metal, éramos humilhados, viajantes do terceiro mundo para o Velho, pomposo e preconceituoso mundo. Lula mudou isso.

É inegável o respeito que experimentamos ao viajar para o exterior (falo dos que viajam realmente para turismo, dado que a xenofobia européia tem crescido e se voltado contra os estrangeiros que querem migrar ilegalmente).

Em alguns países dizer que é brasileiro imediatamente nos concede um ‘passaporte’ de boas vindas, um tratamento mais simpático. Vivi isso nos vários países africanos que fui e em Portugal, o único país europeu para o qual viajei até então. Lula é o Cara também para cidadãos de países estrangeiros.

Tudo isso aconteceu porque o governo Lula soube impor respeito e fazer os demais governos respeitar o Brasil. Anos atrás o governo espanhol desrespeitou brasileiros e imediatamente nosso governo reagiu. O princípio da reciprocidade vem sendo aplicado pelo Itamaraty: sempre que ocorreu abusos, xenofobia e preconceito em relação a brasileiros no exterior e não prevaleceu o entendimento bilateral, o governo brasileiro reagiu protegendo os brasileiros.

Os direitos de presidentes e ex-presidentes e suas famílias

Filhos de presidente têm direito à segurança da PF e é bom que tenham, porque presidente é alvo de todo tipo de chantagem. Em 2008, Fernando Beira-Mar tramou junto com Marcola e Abadia o seqüestro do caçula de Lula. Imaginem se a PF não agisse o que ocorreria com um presidente que tem seu filho em mãos de traficantes sanguinários como estes.

Eu conheci o Marcos Lula na Paulista nas comemorações da vitória da eleição de Dilma, logo após sabermos o resultado do segundo turno.

Marcos estava alegre, eufórico, tinha vindo dirigindo um carro de som de São Bernardo até a Paulista. É um homem bastante simples no falar, agir, se vestir. Marcos Lula não gosta de andar com seguranças (e até então ele tinha este direito garantido constitucionalmente) e neste dia tinha enganado todos eles e estava sem seguranças. Todos nós nos espantamos e ele levou bronca dos amigos. Nesses oito anos, Marcos não viajou para os EUA, Europa, Ásia ou África e muito possivelmente não conheça nem os EUA ou qualquer dos países desses continentes.

Vi fotos de Marcos Lula durante a posse da presidenta Dilma Rousseff. Ele poderia estar ao lado do pai na cerimônia de entrega da faixa presidencial, mas estava como a gente, no meio do povo.

Fico imaginando o quão complicado é lidar com toda esta exposição de modo tão gratuito, virando motivo de chacota pelos oportunistas de sempre e sendo achincalhado inclusive por fogo amigo. Poucos foram os que se dirigiram ao Marcos para perguntar o ocorrido. Compraram de bom grado a versão de que mesmo legal é ‘imoral’ (houve até quem tentou vender a idéia de que o passaporte legalmente renovado fazia parte da filosofia do ‘rouba mais faz’).

Alguns petistas ou simpatizantes se sentiram desconfortáveis com a renovação dos passaportes e a exposição na imprensa do factóide. O blogueiro @viniciusduarte, que não tem nada a ver com esta classe média rancorosa que descrevi anteriormente, achou que a renovação foi uma carteirada burra. Vinícius, Lula por acaso obrigou o Itamaraty a renovar os passaportes? Outro blogueiro, @aleportoblog achou o ‘regalo’ dispensável. Discordei também, não é possível tratar a renovação legal de um documento como ‘regalo’.

Nas críticas de pessoas como Vinícius e Alê a renovação soou como privilégio da cultura do “você sabe com quem está falando”. Se conhecessem Marcos veriam que isto é uma bobagem, aliás tenho até dúvidas se o Marcos em pessoa foi atrás desta renovação (de um passaporte que jamais usou e que nem pegou e diante da fúria da esquerda e direita já até dispensou).

Há nas críticas que coloco como crítica à esquerda um purismo bobo, que caiu no jogo plantado pela Folha de que se é legal não deixa de ser ‘imoral’.

É bom lembrar que para a Folha qualquer direito do ex-presidente é tratado como coisa de deslumbrado. O preço do vinho que Lula tomou em 2003, os seus ternos, ou as roupas de dona Marisa, o avião da presidência ou o staf das viagens internacionais que no Brasil é chado de SCAV (escalão avançado). É ridículo o staf de Lula perto do que acompanha Obama em suas viagens internacionais. Lula durante seus dois mandatos viajava com 30, 40 pessoas no máximo, Obama com 2000 pessoas. A direita que adora comparar o Brasil incluto como os EUA civilizado acha o que disso?

Ora, Lula foi um chefe de Estado e tem de seguir os protocolos do cargo. Mas da esquerda à direita se cobrou do presidente que ele se portasse como um operário. A esquerda para manter o purismo das origens e a direita porque não engole mesmo o fato.

Voltando aos moralistas de plantão: eles precisam apontar o dedo, porque afinal Marcos é ainda aquele rapaz simples, filho de ex-operário, o mesmo que era xingado na escola quando pequeno e viu seu pai preso e os amigos apontando o dedo e o chamando de ‘filho de ladrão’. À época seu pai era o líder operário mais importante do país, resistindo à ditadura militar. Hoje, seu pai é o líder político mais importante do Brasil, porque reconstruiu um país sem esperanças, injusto, desigual, com baixa auto-estima e deixou o governo com 87% de aprovação.

Nesta primeira semana após a troca na Presidência não foi só Marcos e Luis Cláudio que foram desrespeitados pelos moralistas de plantão alimentados pelo factóide da Folha: também o pai deles, o ex-presidente Lula, foi perseguido pelos fotógrafos do jornal da Ditabranda que acha que o ex-presidente não pode descansar, ter alguns dias de férias. Não passa pela cabeça destes jornalistas desrespeitosos que Lula jamais vai conseguir ficar tranqüilo com sua família mesmo que seja no resort de Comandatuba. A simples presença de Lula em qualquer espaço atrairá multidões de fãs e de paparazis sem noção. Onde mais Lula poderia ter um pouco de paz que não fosse em uma base militar?

Ex-presidentes constitucionalmente têm alguns direitos. Eles têm, por exemplo, direito a seguranças e transporte. Foi fundamental este direito nestas eleições. Após o episódio da bolinha de papel, havia um boato circulando de que ocorreria tumulto na caminhada de FHC em São Paulo em apoio a candidatura Serra.

Lembro-me do ator José de Abreu no twitter e em suas famosas twitcams chamando a atenção para o fato de que isso seria um factóide, lembrando que FHC estaria rodeado de seguranças.

FHC pode ir aonde quiser desde que deixou a presidência da república e o maior risco que corre é levar uma bolinha de papel na cabeça. É um presidente impopular, antipático, síntese desta mesquinharia que acomete uma parcela da intelectualidade brasileira que se sente superior aos demais e assim é tratada, inclusive pela velha mídia. FHC teve um filho fora do casamento que toda a imprensa sabia, mas demorou cerca de 20 anos pra falar no assunto, enquanto em 1989 Collor que teve todo espaço na mídia pra seu jogo sujo fez da filha de Lula, Lurian, criada pela mãe de Lula, reconhecida por Lula e nascida antes do casamento com Marisa Letícia e após a morte de sua primeira esposa, um escândalo eleitoral.

A filha de FHC trabalhou tranquilamente no Senado sem que a família fosse incomodada pela imprensa. Mas a renovação legal de dois passaportes para os filhos de Lula (que ainda era o presidente) foi transformada num escândalo com direito até mesmo de presidente da OAB se meter.

Não vai me surpreender nada ver um novo Cansei querendo cassar os direitos legais até então usufruídos tranquilamente por Collor, Itamar, FHC e agora por Lula. Porque para estes moralistas de plantão, é uma afronta um ex-operário ter sido duas vezes presidente, quem dirá viver com a dignidade que um ex-presidente constitucionalmente tem direito de viver.

Lula passou oito anos sendo esculhambado, mas mesmo assim deu tudo de si para o Brasil e o Brasil pós-Lula é um Brasil muito melhor para o seu povo. Será que os brasileiros farão coro aos leitores da Folha e não tomarão conta de Lula?

Artigo de Conceição Oliveira, publicado no blog Maria Frô: